domingo, 25 de setembro de 2016

Taça AF BRAGA com sortes distintas nas camadas jovens

Miguel Carreiras regressou á competição com um golo de belo efeito

Os Juniores do Ninense receberam e bateram por quatro golos a um o UD Calendario , em jogo a contar para a Taça AF BRAGA. Miguel Carreiras abriu as hostilidades logo no inicio do jogo, tendo o Ninense ido para o intervalo a vencer por duas bolas a zero.  O resultado final foi fixado na etapa complementar, com mais dois golos. O Calendario ainda marcaria o tento de honra, o que não impediu a continuidade do Ninense na prova. 
Sorte diferente tiveram os Juvenis.  Embora jogando fora contra um adversario forte, o jogo ainda se arrastou com uma igualdade a dois golos até ao apito final . No entanto, e já perto do final , o guarda-redes ninense acabaria por ser expulso, tendo o Ninense que se socorrer a um jogador de campo para defender as grandes penalidades.  Acabou por ser mais feliz a AD Oliveirense, seguindo ela na prova.

Ninense soma nova vitoria em Terras de Bouro

Socrates bisou e  leva já seis golos no campeonato
Vitoria sorriu aos ninenses por dois golos a um em jogo emotivo onde a incerteza do resultado se manteve até ao cair do pano. 

Naquele que era considerado por muitos o jogo da jornada, defrontaram-se este domingo duas equipas ambiciosas , com o Terras de Bouro a receber o Ninense. 
O primeiro sinal de perigo saiu dos pés do ninense Jorginho. O extremo ninense ladeia o guardião Miguel, mas o remate sai por cima. Pouco depois, acontece a primeira contrariedade para os da casa, com Dino a sair lesionado e a dar lugar a Varajão. A equipa da casa perdeu alguma dinamica e os comandados de Hugo Santos passaram a jogar instalados no meio campo do Terras do Bouro. Aos vinte e cinco minutos, Venú centra para a area, mas Batista ao saltar acaba por cortar a bola com a mão em area proibitiva. Na marcação da grande penalidade, Socrates bate Miguel pela primeira vez. 
O jogo tornou-se algo incaracterístico, com os comandados de Nelson Martinho a usar de alguma dureza na abordagem aos lances, mas as chances de perigo escassearam até ao intervalo. 
 No regresso dos balnearios, assitiriamos a uma segunda parte de muita qualidade e emotividade.
O Terras do Bouro fez o seu primeiro remate no jogo perto dos 50 minutos, por intermedio de Tiago Mendes. Hugo Santos refresca o ataque, com Nelson Oliveira a render o esforçado Rui Gomes e minutos volvidos assiste ao segundo golo do Ninense. Rapido roubo de bola de Venú que vê Miguel fora dos postes, e com um passe magistral assiste Socrates que ao segundo poste só teve de encostar. 
A perder por dois golos de diferença, Nelson Martinho promove dupla substituição com as entradas de Junio e Pedro Reis, passando a jogar com tres defesas. 
O minuto 67 acaba por marcar o cariz do desafio.  Primeiro é o ninense Venú , que completamente isolado , acaba por rematar ao lado da baliza do desamparado guardião Miguel.  Na resposta, o Terras ganha um canto e marca o golo que reduz a margem minima.  Canto apontado pela direita, e Tiago Mendes aparece na pequena area, empurrando para a baliza de Joao Sampaio. 
O mesmo jogador quase empatava cinco minutos depois, mas a bola sai ligeiramente por cima do travessão da baliza. 
Os vintes minutos finais da partida espelham bem a incerteza do que poderia ser o desfecho da partida. Por tres ocasioes, Socrates, Venú e Nelson Oliveira apareceram isolados perante Miguel, mas não conseguiram matar o jogo. Do outro lado , duas grandes intervenções do guarda-redes ninense João Sampaio evitaram o empate.
O apito final do jovem arbitro Carlos Leite soaria pouco depois, após um jogo intenso onde ambas as equipas proporcionaram um excelente desafio desta competição.
Acabou por sofrer o Ninense um pouco por culpa propria, o que não lhe retira o merito da vitoria. O espirito de grupo, a entreajuda e solidariedade ninense levou a melhor sobre a garra e ambição desta equipa do Terras de Bouro, num terreno onde certamente serão poucas as equipas a levar de vencida o conjunto de Nelson Martinho.

No final da partida , Hugo Santos falou sobre a justiça da vitoria ninense. Já o treinador bourense reconhece que o desfecho poderia ser outro, muito por culpa de uma "dualidade de criterios gritante". 

"Bola na mão da area do Terras, o arbitro marca penalti, bola na mão na area do Nine, o arbitro não marca penalti. Isso demonstra praticamente o que foi o jogo todo, a dualidade de criterios que foi gritante, foi por demais evidente. Isso destabiliza a equipa, fica dificil para nós. No segundo golo do Nine houve alguma felicidade , houve um ressalto, numa altura em que já estamos a arriscar tudo, já que a partir dos dez minutos passamos a jogar com tres defesas. Tivemos hipoteses para chegar ao dois zero, podíamos ter saido daqui tambem goleados porque o Nine nos ultimos dez minutos tem inumeras oportunidades para matar o jogo"
Nelson Martinho, Treinador do Terras de Bouro

"Jogo muito esquisito. Podiamos perfeitamente ter goleado, quatro ou cinco a um, mas tambem poderiamos ter empatado , e o Terras do Bouro fez para merecer isso. Jogo dificil, frente a um adversario muito valioso, aliás três equipas com muita qualidade. A equipa de arbitragem manteve o seu criterio até ao fim, isso é de louvar, a equipa do Terras do Bouro trabalhou muito bem depois do dois zero para conseguir entrar no jogo, e nós ganhamos isso é que é importante, conseguir os três pontos num campo dificilimo e hoje fomos uma equipa de campeonato. Agora é aproveitar esta vitoria para catapultar outras e esperar o que o futuro nos reserva."
Hugo Santos, treinador do Ninense 

Ficha do jogo 

Campeoanato Pro-Nacional AF BRAGA 

Campo das Cachadinhas , Caldelas 

Terras de Bouro 1  - AD Ninense 2 

Arbitro : Carlos Leite auxiliado por Ricardo Leite e Andre Neto

Pelo Terras Bouro jogaram: Miguel, Ruben, Simões, Dino (Varajão 20 m), Ribeiro, Tiago Silva , Vaz, Batista (Junio 63 m), Gama, Pintas (Pedro Reis 63 m) e Tiago Mendes. 
 Treinador: Nelson Martinho 

Pelo Ninense jogaram: João Sampaio, David, Paulo Ricardo, Novo, Martins, Tito, Xavier (Tiago 90 m), Venú, Jorginho (Jorge Fonseca 80 m), Rui Gomes (Nelson Oliveira 55 m) e Socrates. 
Treinador : Hugo Santos 

Marcadores: Socrates (25 m g.p. e 60 m), Tiago Mendes (67 m).

Disciplina: Amarelos : Simões (24 m), Batista (25 m), Tito (38 m), Gama (40 m), Junio (78 m), Miguel (84 m), Nelson Oliveira (86 m).



domingo, 18 de setembro de 2016

Ninense recebeu Amares com goleada


Momento do jogo do  Ninense Amares

Chuva de golos na segunda parte resolveu um desafio onde o equilibrio durante uma hora de jogo acabou por se desmoronar a favor dos famalicenses. 

O Ninense recebeu e bateu este domingo a equipa do Amares com quatro golos a um.
O desafio começou praticamente com uma bola a bater com estrondo na trave do guardião ninense João Sampaio a remate de Helder.  Respondeu o Ninense logo de seguida, com uma grande cabeçada de Paulo Ricardo, onde Renato brilhou com grande defesa entre os postes amarenses. Socrates não faria melhor pouco depois, rematando cruzado com perigo. Ficou o aviso , e aos vinte e dois minutos, o avançado famalicense não perdoou. Venú centra com peso e medida, e Socrates em jogada individual , dribla dois adversarios rematando colocado para o fundo das redes visitantes. 
Socrates muito saudado pelos colegas

Dois minutos volvidos, Socrates aparece novamente isolado na cara de Renato, mas o guardião forasteiro faz bem a mancha. Á passagem da meia hora, o Amares quase empata, mas o remate de Helder á meia volta encontra João Sampaio para uma enorme defesa, que levou a vantagem minima para o intervalo.
O descanso fez bem aos comandados de Hugo Santos, e logo no primeiro minuto da etapa complementar, Venú centra para a cabeça de Rui Gomes que cabeceia ao lado.
Paulo Rafael não esperou mais e fez dupla substituição com as entradas de Marco e Tiago para os lugares de Ze Miguel e Orlando. O Amares agigantou-se por momentos , o que lhe permitiu o golo do empate. Diogo ganhou o corredor lateral direito, e acabou por rematar cruzado batendo João Sampaio. Curiosamente, Paulo Rafael substituiu o marcador do golo no minuto seguinte, dando o seu lugar a Gama. O Ninense não se abalou, manteve os seus principios de jogo, e chegou a vantagem cinco minutos depois. Socrates remata com violencia ao poste, e Jorginho aproveitou o ressalto para fuzilar as redes de Renato.
Jorginho marcou o seu primeiro golo na prova

A vantagem ninense seria ampliada tres minutos depois.  Gonçalo, ultimo central amarense , tenta sair com a bola , e Venú rouba o esferico ao defesa de forma habil. Na cara de Renato, Venú apenas teve de escolher para que lado chutar a bola.
O terceiro golo deitava por terra as aspirações dos visitantes, mas não foi por isso que o Ninense tirou o pé do acelerador. Aos trinta minutos , Venú remata do meio da rua com estrondo ao ferro da baliza forasteira, e na recarga Jorginho copiou o seu colega, tirando , tambem ele, tinta ao ferro da baliza. 
No entanto , o quarto golo acabaria mesmo por acontecer , por intermedio de Sergio Maka , que ao tentar aliviar um centro venenoso de Jorginho , acabou por trair o seu guardião com mais um golo. 
Jogadores a festejar o quarto golo da tarde
O Ninense ainda dispôs de oportunidades para ampliar o marcador, o que seria demasiado pesado para um Amares que se bateu muito bem enquanto não deitou o jogo por terra com erros individuais que lhe custaram a derrota em Nine.
O jogo foi tranquilo, e bem dirigido pelo arbitro Fernando Alves numa partida sem casos e onde o fair-play imperou (apenas um cartão amarelo em todo o desafio).

Ficha de jogo

Campeonato Pro-Nacional AF BRAGA

Complexo Desportivo Nine

AD NINENSE 4 FC AMARES 1

Arbitro : Fernando Alves auxiliado por Jose Ribeiro e Luis Cunha

Pelo Ninense jogaram: Joao Sampaio, Tito, David, Paulo Ricardo, Martins, Venú, Xavier (Jorge Fonseca 79 m), Jorginho, Novo, Rui Gomes (Nelson Oliveira 63 m), e Socrates (David Santos 86 m).
Treinador Ninense : Hugo Santos 

Pelo Amares jogaram: Renato, Petit, Sergio Maka, Gonçalo, Ze Miguel (Tiago 55 m) , Rui Torres, Helder, Orlando (Marco 55 m), Tita , Ventura e Diogo (Gama 63 m).
Treinador Amares:  Paulo Rafael 

Marcadores:  Socrates (22 m), Diogo (60 m), Jorginho (65 m), Venú (68 m), Sergio Maka (80 m p.b.).
Disciplina : Amarelo a Tito (60 m).

domingo, 11 de setembro de 2016

Ninense averba primeira derrota fora de portas


Golo solitario de Rui Lima apareceu já no segundo tempo da partida

O Ninense saiu derrotado pela primeira vez esta epoca na condição de visitante ao perder no terreno do Serzedelo por uma bola a zero. 
Começou melhor o Ninense e logo aos cinco minutos Socrates dispôs de uma boa oportunidade , mas a bola escapou ao avançado famalicense. O Serzedelo ia respondendo com ataques pelas laterais, mas os lances esbarravam na defensiva ninense.  Venú teve uma chance de ouro para desfazer o nulo, ao aparecer na cara do guardião Fernando, mas o homem da casa fez bem a mancha. Do outro lado , reclamavam os homens da casa ao verem anulados dois lances de golo por fora-de-jogo.
Já perto do intervalo, Socrates cai na area, mas é sancionado com amarelo por simulação. 
A segunda parte continuou equilibrada, mas cedo Hugo Santos teve de mudar o xadrez ao perder Nelson Oliveira e Socrates que sairam lesionados. 
Os homens da casa assumiram mais o jogo, e acabaram recompensados já na etapa final da partida. Fausto centra para a area ninense, alivio incompleto de Paulo Ricardo , e aparece Rui Lima a fuzilar Joao Sampaio, que nada poderia fazer. 
O Ninense ainda tentou o golo do empate, mas a equipa da casa revelou-se solida a defender, mantendo a vantagem tangencial até ao apito final do juiz Henrique Guise. 
Mais que a derrota, Hugo Santos debate-se agora com dores de cabeça para o onze do proximo desafio, já que as lesões de Socrates e Nelson Oliveira certamamente os impedirão de dar o seu contributo á equipa nos proximos desafios do campeonato.


domingo, 4 de setembro de 2016

Locomotiva ninense levou de vencida S. Paio d´Arcos

Lance de ataque do Ninense perante o S. Paio d´Arcos

Segunda parte de grande nível deitou por terra as aspirações dos visitantes com três golos sem resposta.

O comboio passou por Nine esta tarde e tocou por três vezes as redes do S.Paio d´Arcos, com os golos a aparecerem já no segundo tempo.  
O jogo, porém, foi equilibrado no primeiro tempo, e não fosse o desacerto dos atacantes bracarenses e a grande inspiração do guardião João Sampaio nas redes ninenses, poderia bem ter sido escrito de forma diferente.
Começou bem melhor o S. Paio de Arcos com vinte minutos de grande pressão a encostar os homens da casa na sua area. Nessa altura, valeu João Sampaio, primeiro num remate ao primeiro poste, depois a negar o golo a Marco Lima , quando este estava isolado perante o guardião ninense. 
Os comandados de Hugo Santos começaram a reagir e a tomar conta das operações, e a locomotiva ninense começou a funcionar. Rui Gomes apareceu mesmo isolado na area visitante, mas o juiz já havia apitado num lance de falta sobre Socrates.
Aliás Socrates e Rui Gomes poderiam mesmo ter desatado o nó a favor dos famalicenses, mas seria dos visitantes a derradeira oportunidade pouco antes do intervalo.  Valeu a enorme estirada de Joao Sampaio que negou o golo a Marco Lima. 
João Sampaio foi o "heroi" do primeiro tempo nas redes ninenses
Se a primeira parte pautou pelo equilibrio, o mesmo não se pode dizer do segundo tempo, onde a linha avançada ninense teve tanto de dominadora como avassaladora, não permitindo ao adversario um remate digno de registo. 
Pelo contrario, foi mesmo o Ninense a marcar logo aos dez minutos pelo "maquinista" Venú, que após tabelar com um colega, fez bem a diagonal e na cara de Alex, teve a frieza para colocar a bola no fundo das redes.  O segundo tento apareceu minutos depois, em jogada similar á do primeiro golo, a linha avançada ninense explorou bem um contra golpe e Rui Gomes, á matador , colocou a bola no poste mais distante da baliza de Alex. 
Xavier a ganhar o lance de cabeça perante o olhar atento de Marco Lima

A perder por duas bolas, Zequinha, treinador dos bracarenses, ainda apostou em Balela, mas o avançado pouco depois assistiria ao terceiro golo ninense no lado oposto do terreno de jogo, com Socrates a pegar na bola ainda no seu meio campo, e na cara de Alex a selar a vitoria com o ultimo golo dos famalicenses.
O resultado acaba por ser enganador, fruto do balanceamento ofensivo dos visitantes , que a verem-se a perder, arriscaram tudo , acabando por pagar um pouco a fatura da falta de eficacia atacante na primeira parte.
Martins apareceu hoje a central no lugar do lesionado Tiago Oliveira
A equipa do Ninense assume-se cada vez isso, uma verdadeira equipa. Ambição , Raça , Polivalência são palavras que fazem cada vez mais parte do léxico deste grupo de trabalho. Hoje, á semelhança dos outros jogos, foi um bom exemplo disso mesmo, num grupo condicionado por lesões, mas onde a polivalencia , o acreditar e o espirito de sacrificio levaram de vencida mais um obstaculo.
O trio de arbitragem liderado por Jorge Lemos teve uma actuação á sua melhor imagem. Sereno a conduzir a partida, discreto ao decidir os lances, e bem auxiliado pelos assistentes.

Pelo Ninense jogaram: João Sampaio, Paulo Ricardo, David, Martins, Luis Tiago, André (Jorginho), Xavier, Nelson (Jorge Fonseca), Venú, Rui Gomes e Socrates (Mauro).

domingo, 28 de agosto de 2016

Equipa Ninense saiu vitoriosa nas Marinhas

Onze inicial do Ninense nas Marinhas

Ninenses entraram no jogo praticamente a perder, mas inspiração de Socrates e colectivo forte deram a volta ao resultado, com o marcador final a saldar-se em duas bolas a uma para os famalicenses.

Tarde ventosa nas Marinhas, onde frente a frente saíam duas equipas á procura dos primeiros pontos no campeonato, após as derrotas na jornada inaugural da prova.
Começou melhor o Marinhas e logo aos seis minutos adiantou-se no marcador , com um golo de Nandinho. 
Os comandados de Hugo Santos reagiram rapidamente , e tomaram conta das operações. Pouco depois, grande combinação entre André e David , e este a centrar milimetricamente para a area, onde apareceu Socrates a cabecear, desviando do alcance do guardião Ze Luis.  
O Marinhas apenas causava perigo com bolas paradas, sempre á procura do veterano Carioca que embora com o passar dos anos, continua a ser a referencia atacante da equipa costeira. 
O Ninense poderia ter mesmo dado a volta ao resultado ao cair do pano da primeira parte em duas situações, curiosamente pelo mesmo jogador, o central Paulo Ricardo. Primeiro , num livre frontal , a bola rasou o poste esquerdo de Ze Luis. Depois, cabeceou com dificuldade uma bola ao segundo poste , com a bola a sair um pouco ao lado.
O intervalo fez bem aos de Nine, voltando para a segunda parte com alma renovada, e logo aos cinco minutos Socrates bisa na partida.  O avançado ninense recupera uma bola ainda no seu meio campo, e com uma cavalgada impressionante só parou depois de bater o desamparado Ze Luis com um golo de belo efeito. 
Estava feita a reviravolta no marcador, e o treinador Rui Vasquinho não tardou em tirar todos os trunfos do baralho, com as entradas de Abilio , Ruca e Renato. Com muito espirito de sacrificio, união de grupo e entrega total ao jogo, os ninenses lá foram sustendo o impeto dos locais, que se atiraram desenfreadamente ao ataque.  Hugo Santos promoveu as entradas de Luis Tiago e Jorginho, tirando os esforçados Rui Gomes e André.  
Já perto do final, é João Sampaio, guardião ninense, quem segura a vantagem dos visitantes. Carioca remata com violencia, e na recarga do avançado , João Sampaio ainda tem reflexos para voar para a bola , desviando para canto. 
 O apito final do arbitro João Macedo soaria pouco depois, após quatro interminaveis minutos de descontos.
Numa fase da temporada onde os pontos são mais importantes que as exibições, o jogo de hoje foi o antagonismo perfeito do desafio da semana passada, com os famalicenses desta feita a capitalizarem bem os lances de perigo criados, e a somarem um importante triunfo em casa de um adversario directo. 
O trio de arbitragem liderado por João Macedo e auxiliado por Carlos Ribeiro e Helder Gonçalves esteve á altura dos acontecimentos, num jogo sem grandes casos a assinalar.