domingo, 15 de janeiro de 2017

Ninense regressa ás vitorias caseiras



 Ninenses estiveram a perder, mas segunda parte de luxo deu reviravolta no marcador.

O Ninense recebeu e bateu este domingo o conjunto do Marinhas por tres golos a um.
O jogo começou com uma oportunidade para os de Nine, com Martins a centrar mas Socrates a cabecear por cima.  Na resposta, Jeronimo quase surpreende Joao Sampaio com um centro-remate, mas o guardião ninense estava atento, defendendo para canto. 
Perto dos 23 minutos, a bola ronda as redes ninenses, e Tiago Oliveira evita o golo em cima do risco de baliza, após remate de Carioca. Aos trinta minutos, Rui Gomes tem nos pés a melhor chance de golo do primeiro tempo, mas o remate sai ao lado.  A resposta dos visitantes não podia ser mais letal, e aconteceu tres minutos depois.  Canto apontado pela direita, Salgado centra para a area, mas a bola acaba por ter uma trajectoria esquisita, entrando ao segundo poste da baliza ninense. Estava feito o primeiro da tarde. 
O golo da igualdade quase acontecia minutos depois. Martins centra rasteiro para a area, o esferico fica á mercê dos atacantes ninenses, e só por milagre não entra. O Marinhas voltou a comandar as operações e João Sampaio teve de se aplicar por mais duas vezes com dois remates traiçoeiros. 
O empate iria se manter até ao intervalo, com a vantagem minima do Marinhas, que assim premiava a ousadia dos visitantes e penalizava a falta de eficacia atacante dos homens de Hugo Santos.

O tecnico ninense não esperou mais e fez a primeira substituição ao intervalo, fazendo render Andre com a entrada de Christophe.  Logo no primeiro minuto da etapa complementar , Venú quase empata, mas o guardião Ze Luis defende para canto. Pouco depois, Ruca , em jogada individual, falha o segundo do Marinhas.  Aos 20 minutos, Socrates sai lesionado na partida , dando lugar a Fonseca. 
A substituição deu frutos, e três minutos depois, Nelson corre isolado e é travado por Salgado. O lance é contestado pelo Marinhas, mas Salgado acaba mesmo por derrubar o atacante ninense dentro da area, com a respectiva marcação de grande penalidade. Na conversão, Rui Gomes marca o golo do empate.

O lance abalou os comandados de Rui Vasquinho que viram o Ninense consumar a reviravolta apenas quatro minutos depois. Rui Gomes ganha a bola pela direita e centra com mestria para Nelson Oliveira, que ao segundo poste fuzila as redes visitantes. 
O tecnico visitante arriscou tudo com as entradas de Rodrigo e Nakata, mas a vantagem minima dos ninenses arrastou-se até aos descontos.  Na marcação de um canto, o guarda-redes visitante subiu á area, e na marcação do canto, os ninenses aliviaram o esferico , com Venú a receber a bola no seu meio campo, e numa corrida desenfreada só parou com a bola nas redes visitantes, selando o terceiro e ultimo golo da tarde.
O trio de arbitragem esteve seguro e fez um bom trabalho, acertando na decisão dos lances mais complicados do desafio. 
Com esta vitoria, os Ninenses aproximaram-se do pelotão da frente, numa jornada onde curiosamente, as equipas da frente empataram os seus jogos. 

Ficha de jogo 

18ª Jornada do Campeonato Pro-Nacional AF BRAGA 

Complexo Desportivo de Nine 

AD NINENSE 3  - FC MARINHAS 1

Arbitro : Tiago Castro auxiliado por Renato Castro e Gualter Castro 

Pelo Ninense jogaram: Joao Sampaio, David, Martins, Paulo Ricardo, Tiago Oliveira, Xavi, Nelson Oliveira, Venú, Andre (Christophe 45 m), Rui Gomes (Diogo Novo 90+2 m) e Socrates (Fonseca 66 m).
Treinador: Hugo Santos 

Pelo Marinhas jogaram: Ze Luis , Salgado, Luis Amorim, Ruca (Rodrigo 80 m), Carioca, Gramoso, Mocho, Nandinho (Nakata 85 m), Renato (Mauricio 69 m), Jeronimo, Rui Azevedo.
Treinador: Rui Vasquinho 

Marcadores: Salgado (33 m), Rui Gomes (73 m g.p.) e Venú (90 + 2 m). 

Disciplina: Amarelos:  Salgado (73 m), David (75 m), Christophe (77 m), Rui Gomes ( 78 m).

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Um empate a abrir o ano



 

    Diz a sabedoria popular que até ao lavar dos cestos é vindima, e o jogo deste domingo é um bom exemplo disso mesmo. 
     A partida marcava o regresso dos famalicenses após um mês de paragem coincidindo também com o inicio da segunda volta do campeonato.
     O jogo teve duas partes distintas. Começaram melhor os da casa, assumindo o desafio, e logo no primeiro minuto falharam de forma clamorosa o tento inicial na partida. Os comandados de Miguel Paredes iam mandando no jogo, com os de Nine a terem dificuldades nas transições ofensivas. Pelos vinte minutos, o Ninense dispõe da sua primeira oportunidade de golo, com Martins a escapar pela direita, mas ninguém a aparecer para empurrar a bola. A resposta do Vieira não poderia ser mais letal, e na jogada seguinte, Luca marca o primeiro tento de canto direto.
    Os comandados de Hugo Santos acusaram o golo e acabariam por sofrer o segundo volvidos dois minutos, com Luca a centrar e Moreira a aparecer livre ao segundo poste para encostar sem dificuldade. 
    Os vieirenses mandavam no jogo e dispuseram mesmo de mais um par de oportunidades para dilatar o marcador, mas o resultado manteve-se até ao intervalo. Minutos antes, Hugo Santos fizera a primeira substituição, com Jorginho a render Tito.
    A segunda parte foi o inverso da primeira. Talvez deslumbrados pelas facilidades do primeiro tempo, o Vieira acabou por recuar as linhas, dando iniciativa de jogo aos visitantes, o que os fez acreditar e partir para um grande segundo tempo, onde , em abono da verdade, só deu Ninense. 
    O técnico famalicense arriscou tudo na frente com Christophe a render André , e o Ninense tomou conta das operações.  Jorginho , que havia entrado ainda no primeiro tempo, acabaria por sair lesionado , dando lugar a Jorge Fonseca.
   Ambas as substituições foram apostas ganhas do treinador, já que aos 80 minutos, Jorge Fonseca marca um grande golo de fora da area, deixando Joao Nunes pregado na baliza dos locais.  Os dez minutos finais foram de algum nervosismo, e no minuto final após um canto batido por Martins, Christophe antecipa-se aos homens da casa e repõe a igualdade.
    Não haveria tempo para mais, e o empate acabaria por prevalecer, fruto da alternância de domínio de jogo em ambos os tempos.
   No final, ambos os técnicos estavam de acordo na analise de jogo, sendo que Miguel Paredes lamentou-se da falta de eficacia ofensiva da sua equipa no primeiro tempo.  Já Hugo Santos, falou de uma segunda parte de qualidade da sua equipa, onde a justiça no marcador acabou por acontecer já nos minutos finais.

“Na primeira parte foi brilhante da nossa equipa. Estávamos a ganhar 2-0 ao intervalo, mas o resultado justo seria 5/6 a zero fruto das muitas oportunidades que tivemos. Foi uma equipa com muita personalidade, que soube jogar, explorou bem as costas do adversário. Ao intervalo, o 2-0 era injusto e pecava por escasso. No segundo tempo, mesmo tendo avisado que o Ninense não era aquilo que se tinha visto, tivemos dificuldades e falta de personalidade. O Ninense dominou, mas não teve muitas oportunidades.”
Miguel Paredes, treinador do Vieira 

“O Ninense entrou muito mal na primeira parte. Foi a pior primeira parte que realizei na minha carreira. O Vieira marcou dois golos, mas podia ter marcado quatro ou cinco. Não o fez e nós aproveitámos o facto de não terem encerrado o jogo. Ao intervalo chamámos atenção ao que estava errado e depois crescemos. Penso que é o Ninense que dita o que foi o jogo: primeira parte fraca, com a Vieira a mandar, mas na segunda parte aparecemos transfigurados, com personalidade e mostramos o que é a nossa equipa.”
Hugo Santos, treinador do Ninense


segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Carlos Pio de saída dos Juvenis da AD Ninense


A direção da AD Ninense vem por este meio comunicar a saída do tecnico Carlos Pio do comando da equipa juvenil da AD Ninense.
O jovem tecnico , que esteve  ligado ás camadas jovens do Ninense desde 2010, entendeu que a sua saída era melhor para tentar contrariar o mau arranque dos juvenis, que como sabemos, competem na primeira divisão.
A direção agradece ao tecnico todo o seu esforço e dedicação demonstrado ao longo destes anos pelo clube, desejando-lhe os melhores votos desportivos e um rapido regresso aos relvados com um projeto.


domingo, 11 de dezembro de 2016

Derrota ingloria na despedida da primeira volta




"Há riqueza bastante no mundo para as necessidades do homem, mas nunca para a sua ambição"
(Mahatma Gandhi )

O Ninense saiu derrotado esta tarde no terreno do Esposende por duas bolas a uma. 
O jogo começou repartido, mas o golo ninense chegaria logo aos treze minutos, com uma assistencia de Xavier e Socrates de cabeça a fazer um chapeu de belo efeito a Stray. 
Pouco depois, o Ninense quase dilataria o marcador, com Nelson Oliveira a falhar a emenda ao segundo poste. Aquilo que parecia ser um jogo tranquilo e equilibrado rapidamente mudou de figurino.
Alegria inicial ninense depressa mudou face ás incidencias do jogo
Perto da meia hora de jogo, Tiago Oliveira trava um contra-ataque e leva o primeiro amarelo do desafio. Dois minutos volvidos, Venú recebe ordem de expulsão com dois cartões amarelos no mesmo minuto. Um par de minutos depois, é Tiago Oliveira quem vê o segundo cartão amarelo por uma falta no minimo discutivel no meio campo do terreno de jogo. 
 Um pouco inexplicavelmente, e em apenas oito minutos de jogo, o Ninense ficava com menos duas unidades em campo e partiria assim para o segundo tempo.
Com superioridade numerica, o treinador Carlos Viana reforçou a linha avançada ao intervalo com duas unidades frescas para o ataque. 
No entanto, alguma indifinição e falta de pontaria do ataque local, a juntar a duas valorosas defesas de João Sampaio arrastaram a magra vantagem ninense até ao novo lance polemico já na etapa final da partida, que desbloqueou o jogo novamente.
Num rapido contra-ataque os da casa, um jogador recebe a bola pela direita em claro fora-de-jogo e , sem dificuldade, assiste um colega para o golo da igualdade. 
Já nos minutos finais , o Esposende acabaria mesmo por dar a volta ao resultado, fruto tambem do desgaste da equipa ninense que jogara quase uma hora com menos dois atletas em campo. 
David Santos poderia ter mesmo assim empatado nos descontos, mas Stray negou o golo ao remate do jovem jogador ninense.


Com os objectivos propostos para a temporada a serem cumpridos, continuamos unidos no nosso caminho, crentes que menos dias tristes e infelizes virão e  que nem sempre iremos encontrar trilhos sinuosos pelo percurso como hoje.  

Um santo e Feliz Natal para todos, 






quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Christophe está de regresso ao Ninense


Após duas temporadas ao mais alto nivel pelo Ninense, e após uma curta pausa na carreira, o jogador Christophe está de regresso a Nine.
O atleta encaixava no perfil pretendido pelo treinador Hugo Santos, tratando-se ao mesmo tempo de uma aposta da direção em reforçar o plantel, contratando um jogador com  provas dadas tanto no nosso clube como durante toda a sua carreira futebolistica, que o levou , por exemplo, a jogar na II Liga pelo Freamunde. 
Em Nine, Christophe conhece praticamente todo o plantel, tendo mesmo jogado em temporadas anteriores em outros emblemas com alguns jogadores  recem-chegados ao plantel, como Rui Gomes e Paulo Ricardo.

Hugo Santos pode contar assim com mais um reforço do plantel para consolidar a segunda metade do campeonato. 

domingo, 27 de novembro de 2016

Derbi famalicense deu empate em Joane

 
Desarme perfeito de Venú sobre ex-colega Cadete


Joane chegou ao empate no ultimo lance da partida, mantendo assim o estatuto de unica equipa sem derrotas na prova, num jogo de grande montra do futebol distrital.

Realizou-se este domingo o primeiro derbi famalicense da temporada, com o lider Joane a receber o Ninense num jogo que resultou num empate a uma bola.
Começou mais pressionante o Joane com posse de bola , mas os primeiros lances de perigo foram criados perto da baliza de Sergio, guardião dos locais. Aos dez minutos, canto a favor dos de Nine, e Tiago Oliveira cabeceia para defesa apertada de Sergio. Aos vinte minutos, Socrates aparece isolado perante o guarda-redes joanense, mas é desarmado no momento certo.  Aos 23 minutos, acontece o primeiro golo do desafio para o Ninense.  Livre directo frontal superiormente marcado por Martins, deixando Sergio pregado ao chão. 
Cesario e Venú , dois antigos colegas no Ninense

O avançado local Zezé iria dispor da unica ocasião de golo joanense já perto do intervalo, mas rematou fraco . 
A segunda parte manteve um registo bem parecido ao primeiro tempo.  O Joane dispunha de mais posse de bola, em parte consentida pelo bloco baixo e compacto do Ninense, com os homens de Hugo Santos a espreitarem um contra-ataque. 
Aos doze minutos, rapida jogada do Joane, mas Cadete a chutar muito por cima da baliza de Joao Sampaio. O guardião ninense estaria em destaque logo de seguida , ao suster um remate do recem-entrado Bruno Machado, que havia rendido Meira. 
Socrates e Meira (ex-ninense ) em disputa pela bola
Balanceado na frente, o Joane foi esbarrando numa equipa ninense compacta e solidaria a defender, acabando por ser o conjunto ninense a dispôr de ocasiões soberanas para matar o jogo. Primeiro foi Socrates , que na cara do guarda-redes  , remata por cima da baliza. Na resposta, Bruno Machado aparece na cara de João Sampaio, que desarma o atacante local no momento certo. No segundo minuto do tempo extra, Venú aparece na cara do guardião completamente isolado, mas remata ao lado. 
Decorria o ultimo minuto do tempo extra, e o Joane consegue empatar no ultimo suspiro da partida. Cadete vai á linha, consegue centrar atrasado, onde aparece Bruno Machado com um remate de primeira colocado a bater João Sampaio. 
Num jogo tacticamente quase perfeito dos ninenses, acabou pelo Joane sair premiado pela estrelinha da sorte e pelo acreditar até ao apito final, mantendo o primeiro lugar na tabela classificativa. 
Por seu turno, o Ninense continua no seu trajecto delineado para esta temporada, ficando hoje provado em Joane que pode lutar frente a qualquer equipa em qualquer campo pelos três pontos em disputa.


Ficha de Jogo 

Campeonato Pro-Nacional AF BRAGA 

Campo dos Barreiros

GD JOANE 1 - AD NINENSE 1 

Arbitro: Luis Ferreira auxiliado por Joel Vale e Nuno Ferreira 

Pelo Joane jogaram: Sergio, Duarte Nuno, Cadete, Joao Andre, Meira (Bruno Machado 48 m), Joaozinho (Rui Machado 68 m), Ruben (Pereira 82 m), Zezé, Cesario, Cunha e Tiago Gomes. 
Treinador : Tiago Cunha 

Pelo Ninense jogaram: Joao Sampaio, Paulo Ricardo, Tiago Oliveira, Martins, David, Xavi, Venú, Nelson Oliveira, Jorginho (Tito 68 m), Rui Gomes e Socrates (Andre 88 m). 
 Treinador : Hugo Santos 

Marcador : Martins (23 m) e Bruno Machado (90+ 4 m) .

Disciplina: Martins (34 m), Meira (46 m), Cesario (52 m), David (81 m), Nelson (82 m).